O criminoso Dyego Santos Silva, de 29 anos, natural de Vitória da Conquista, foi morto a tiros em confronto com a polícia Paranaense, após o mega-assalto no Paraguai, onde levaram cerca de 120 milhões de reais de uma transportadora de valores.

Apesar de o criminoso ser Conquistense, de acordo com a polícia, ele e seus pais residem há bastante tempo em São Paulo, inclusive sendo o documento de identidade emitido naquele estado, indicando que Dyego deve ter residido na capital do sudoeste da Bahia no passado.

Segundo apurou o Blitz, Dyego era o segundo em comando do PCC, dos que estavam em liberdade. Agora a Polícia Civil baiana quer saber se o criminoso tem ramificações em sua terra natal.

Dyego participou do mega-assalto ocorrido no Paraguai. Ele é um dos três que morreram em confronto com policiais federais do Nepom, próximo a fronteira.

Balanço da PF envolvendo suspeitos

  • Presos: 8
  • Apreensões: sete veículos (entre eles, um carro de polícia), dois barcos, seis fuzis, uma pistola, explosivos, malotes vazios e munição de grosso calibre.
  • Mortes: 3

Em nota, o presidente Michel Temer determinou ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que coloque a Polícia Federal à disposição das autoridades paraguaias para colaborar com as investigações dos fatos ocorridos na cidade paraguaia.

Blitz Conquista / G1