Uma médica natural da cidade de Montes Claros, em Minas Gerais, foi encontrada morta no sábado (7), no quarto de uma pousada de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, de acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O Samu informou ainda que ela foi identificada como Liliany Caetano Aquino, de 26 anos. Uma unidade do serviço de atendimento foi acionada pelos funcionários da pousada que a encontraram desacordada no quarto, mas, ao chegar no local, a médica já estava morta.

A Polícia Civil da cidade informou na manhã deste domingo (8) que dados preliminares apontavam que a morte poderia ter sido natural. À tarde, a policia atualizou que a suspeita era de que ela pode ter cometido suicídio, já que foram encontrados medicamentos de uso controlado no quarto em que ela estava. Uma perícia feita pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) deve confirmar a causa da morte.

A advogada da família da médica, Ana Karenina Almeida, informou que a hipótese de suicídio é descartada. “Segundo o atestado de óbito, não há nada que indique suicídio. A causa da morte que consta no laudo após a autópsia é tromboembolia cardiopulmonar”, afirma

A advogada ainda disse que a médica usou alguns remédios para dormir e isso pode ter ocasionado o problema. “Às vezes ela usava essa medicação para dormir. Ela estava muito cansada. A questão é que ela estava sozinha e na hora que passou mal não tinha ninguém para socorrer”, disse.

O Samu, que fez o atendimento da vítima, informou que Liliany apresentava sinais de broncoaspiração, quando a pessoa inspira o vômito ou um corpo estranho e fecha as vias aéreas, e de cianose, uma coloração azulada da pele ou das mucosas. Diante da situação, não havia mais possibilidade de reanimação devido ao tempo de parada cardiorrespiratória.

Liliany Caetano foi sepultada na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais.

G1